• adriana453

4º Crasa Day 2021 aborda Suprimentos 4.0 como alavanca competitiva para o negócio

O engenheiro Cid Andreucci, diretor presidente da CRASA Infraestrutura, fez a abertura do 4º Crasa Day 2021, realizado no final de outubro, em formato on-line. A edição do evento abordou o tema “Suprimento 4.0 – uma alavanca competitiva para o negócio”, apresentado por Pedro Pádua Paula e Elizabeth Assmann, especialistas em suprimentos da Visagio.


Ao dar as boas-vindas aos participantes do 4º Crasa Day, Andreucci destacou a gestão eficiente dos processos na área de suprimentos como um diferencial competitivo no mercado. Enfatizou a importância da parceria com a Visagio para que a CRASA siga evoluindo na utilização das ferramentas, sistemas e soluções disponíveis para cada vez mais otimizar os processos. “Destaco que o evento tem se caracterizado pela união dos colaboradores da sede e das obras. Estamos caminhando juntos para enriquecer todas as operações desenvolvidas pela empresa”, observou.


Evolução das práticas de gestão de suprimentos

Pedro Pádua Paula fez um recorte das revoluções pelas quais passou a humanidade, enfatizando que a indústria 4.0 trouxe inovações capazes de alavancar um novo nível de visibilidade e percepção do negócio, além dos ganhos operacionais. Citou como inovações a Inteligência das Coisas (IoT), Inteligência Artificial (AI), computação cognitiva, blockchain, gêmeos digitais, Big Data & Analytics, realidade aumentada, automação e robótica. “Todas têm a capacidade de processar informações complexas gerando insights de valor. Estima-se que a geração de valor esperada para os próximos 5 anos é de 3,7 trilhões de dólares na economia mundial”.


Ainda em sua explanação, Pedro Pádua afirmou que a evolução das práticas de gestão de suprimentos passa por estágios de maturação (propagação do ESG, gestão integrada dos gastos, prestação de serviços e garantia do compliance) até gerarem valor para empresa.


Elizabeth Assmann explicou que a área de suprimentos atua como um agente de transformação integrador. “Gera diferencial competitivo e alinha os interesses da empresa, operações e fornecedores na busca por inovação e geração de valor e construção de parcerias estratégicas”, pontuou.


Transformação digital

Segundo ela, a transformação digital está mudando a forma como os negócios e operações são feitos, o que permite a alavancagem da contribuição da área de suprimentos em uma companhia.


A especialista explica que a evolução das informações se caracteriza pela tomada de decisão mais estruturada por meio da IA e Big Data. Como exemplos citou que a AI é habilitada para ações como negociação e criação de contratos, prospecção de fornecedores, análise da cadeia de suprimentos, gestão, análise e negociação de contrato. “A otimização das negociações com fornecimento de análises precisas e recomendações seguras são possíveis com IA, e como resultado temos garantia de parceiros alinhados estrategicamente e processo de homologação seguro e confiável”, disse.


Quanto à digitalização de processos, Pedro Pádua salientou que é possível conectar os elos de todo o sistema de suprimentos e gestão de fornecedores com o máximo de automação. “Com isso é possível verificar esforço operacional reduzido em atividades transacionais, maior retorno sobre custo de gestão em suprimentos, através da otimização da estrutura, redução do risco de erros ou falhas com controle automatizado dos processos e facilidade de geração de indicadores e insights devido à centralização dos dados”. Afirmou também que com a digitalização de processo é possível, por exemplo, modelar e planejar a demanda, mapear fornecedores potenciais, formalizar digitalmente o contrato. Por fim, tem-se uma visão integrada de risco, eficiência, performance e relacionamento”.


Os especialistas em suprimentos finalizaram a apresentação com cases de sucesso da Visagio





10 visualizações0 comentário