• adriana453

CRASA desenvolve políticas de inclusão de mulheres nas obras

De acordo com a última pesquisa “Mulheres na Liderança”, realizada pela Women in Leadership in Latin America (WILL) de 2 de julho a 10 de setembro 2021, 58% das médias e grandes empresas no Brasil dispõem de políticas formais para a promoção da equidade de gênero. Em relação ao levantamento anterior, realizado em 2019, houve um avanço de 17 pontos percentuais.


Em sintonia com esse crescimento, a CRASA Infraestrutura vem adotando, cada vez mais, políticas de equidade de gênero em seus processos internos. A postura da empresa vai de encontro à Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), que estabelece 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para serem cumpridos até o final da próxima década. Neste contexto, destaca-se no item 5: “Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas”.


Dessa forma, desde o seu DNA, a companhia se compromete a garantir a participação plena e efetiva das mulheres e a igualdade de oportunidades para a liderança em todos os níveis. Com o objetivo de lutar contra todas as formas de discriminação contra as profissionais do sexo feminino e contribuir para a maior inserção deste grupo no setor de Engenharia Civil, a CRASA desenvolveu o programa “Mulheres à Obra”. O programa será implementado ao longo de 2022.


Calcado na ampliação da oferta de oportunidades às mulheres nas obras de forma orgânica e sustentável, o conjunto de ações visa: promover a cultura inclusiva por meio de comunicações, treinamentos, palestras, workshops; dar oportunidades às mulheres, buscando profissionais femininas nos recrutamentos externos; prover a infraestrutura necessária para atendimento a maior presença feminina no canteiro de obras.


“Para promover essas ações, é necessário investir na conscientização dos colaboradores sobre os diversos aspectos que um ambiente diverso exige, como respeito recíproco, cordialidade e ética. Além disso, também é oportuno orientar todos os colaboradores quanto ao Código de Ética e Conduta, para evitar casos de assédio moral ou sexual através de palestras e treinamentos”, explica Wilson Seiti Okada Junior, Psicólogo Organizacional da marca.


Presença feminina no setor corporativo cresce 85%


Em cumprimento ao item 5 da Agenda 2030 da ONU, “Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas”, a CRASA observou um expressivo crescimento de 85% da participação feminina em seu setor corporativo.


Em dezembro de 2020, eram apenas sete mulheres de um total de 49 profissionais no corporativo, uma participação feminina de apenas 14%. Um ano depois, em dezembro de 2021, o gênero feminino corresponderia a 24% do índice, com 13 profissionais mulheres entre os 55 colaboradores do setor.






28 visualizações0 comentário