top of page
  • adriana453

Projeto Engenhar da CRASA destaca tecnologias da compactação de solos

O engenheiro Paulo Roese, gerente comercial da Caterpillar para Brasil, Paraguai e Uruguai, ministrou palestra, no dia 17 de novembro, no Projeto Engenhar CRASA Infra, sobre o tema “Compactação de Solos: paradigmas e tecnologias”.

Ao abrir o evento, o diretor-presidente da CRASA Infraestrutura, Cid Andreucci, destacou a extrema importância do tema para o ambiente de trabalho da companhia.

Em continuidade, Roese iniciou a apresentação com considerações sobre as diferenças entre compactação de solos, pavimentação e reabilitação de pavimento. Também mostrou o funcionamento dos rolos compactadores, fatores importantes na seleção do equipamento e tecnologias disponíveis. Ressaltou que a compactação é uma das mais importantes etapas na construção de um pavimento em uma rodovia e explicou que no processo são usados rolos para comprimir a massa, reduzindo o número de “vazios” (espaços com ar) no interior da camada asfáltica, deixando a pista de rolamento mais firme, lisa e uniforme. Por esse motivo, os procedimentos e a seleção assertiva desse equipamento influenciam, diretamente, na qualidade, segurança, conforto e durabilidade da obra rodoviária.

Roese falou também sobre os fatores que podem ser controlados na obra, como a velocidade de trabalho, largura do tambor, amplitude, frequência, pressão dos pneus e lastro: “A espessura da camada, umidade e tipo do material, condições climáticas e eficiência do operador também são fatores importantes a serem considerados na compactação”, observou. Afirmou que é muito importante considerar a velocidade de compactação de acordo com o ajuste de amplitude e de frequência da máquina, e demonstrou como ajustar amplitude, frequência e velocidade em diversos tipos de solos para que a compactação seja eficiente, e que ganhe em produtividade.

Ao finalizar, o engenheiro mostrou como funciona um sistema de compactação inteligente a partir do MDP (Machine Drive Power), equipamento exclusivo da Caterpillar, que utiliza sensores instalados na máquina para medir a energia necessária para superar a resistência ao rolamento e correlaciona os valores encontrados com o grau de compactação do solo. Destacou que com o MDP é possível melhorar o controle do número de fechas (contagem de passadas), reduzindo o tempo de operação, gerando uma economia de combustível e prolongando a vida útil do equipamento.




9 visualizações0 comentário
bottom of page