top of page
  • adriana453

Tratamento de refluentes e preservação hídrica no dia a dia das obras da CRASA

Em março deste ano, a Organização das Nações Unidas (ONU) alertou: o planeta se aproxima de um cenário de escassez de água. Atualmente, 26% da população mundial não tem acesso a água potável e 46% não tem acesso a serviços de saneamento básico.

Com o consumo aumentando cerca de 1% ao ano, é apenas uma questão de tempo para que a escassez atinja boa parte dos continentes – o que já vem acontecendo sazonalmente, ou seja, em períodos do ano onde a seca é maior e o consumo permanece o mesmo.

Água e saneamento na Agenda 2030

Para evitar que a água se torne um recurso escasso, é preciso investir em políticas de tratamento e reaproveitamento. Há outras frentes de trabalho, como programas de educação a respeito do uso consciente da água e de gestão adequada de resíduos por parte de todos os setores produtivos. Todos esses pontos permitem alcançar o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável – ODS 6 da ONU: “Água potável e saneamento: garantir disponibilidade e manejo sustentável da água e saneamento para todos”, que faz parte da Agenda 2023 da organização.

A CRASA é signatária do Pacto Global da ONU desde 2021, intensificando seus esforços em boas práticas ambientais. A água utilizada nas obras em que atua é fornecida ou pelo sistema de abastecimento municipal ou por empresas locais terceirizada, sendo que a companhia assume a responsabilidade pelo uso consciente, adequado e pelo reaproveitamento em todas as situações em que isso é possível.

Reutilização de água nas obras do Metrô Linha 2

No projeto do Metrô Linha 2, em São Paulo, o Consórcio CGC (CRASA, GHELLA e CONSBEM) optou por coletar, tratar e reutilizar todos os efluentes coletados nas áreas das obras. Com a implantação de uma Estação de Tratamento de Efluentes (ETE), os efluentes passam por correção de PH, tratamento com coagulantes e separação física com flocodecantador pressurizado. O lodo é desidratado e densado em tubos geotêxteis. Ao final deste processo, a água é reutilizada ou devolvida ao solo.

Cabe destacar que esta iniciativa específica para as obras do Metrô Linha 2 é somente um dos caminhos que a CRASA tem seguido para contribuir com a preservação de recursos naturais.

Sendo a água um recurso essencial para as obras de grande porte, a companhia também conta com programas específicos para tratamento de efluentes em cada projeto. Dentro da entrega de Engenharia de Valor da Companhia, o respeito ao recurso se demonstra na implantação de Estações de Tratamento de Esgotos Compactas – as estruturas permitem que a água seja tratada no local onde é utilizada e, eventualmente, reaproveitada no mesmo trabalho.




6 visualizações0 comentário
bottom of page