• adriana453

CRASA Infraestrutura quer se consolidar como empresa carbono neutro

Fruto de uma iniciativa de esforço global, o Inventário de Gases de Efeito Estufa (GEE) é poderosa ferramenta para o enfrentamento das mudanças climáticas.

Com o inventário é possível conhecer o perfil das emissões de gases estufas, responsáveis pelo aumento do aquecimento do planeta, e ter um maior controle e cumprimento de leis, protocolos e padrões estabelecidos internacionalmente.

De acordo com o Protocolo de Kyoto, os gases de efeito estufa controlados pelos inventários são: CO2 (Dióxido de Carbono), CH4 (Metano), N2O (Óxido Nitroso), SF6 (Hexafluorido de Enxofre), HFC (Hidrofluorcarbonos) e os PFC (Perfluorcarbonos).

A elaboração periódica do Inventário de Gases de Efeito Estufa (GEE) gera vantagem competitiva, otimiza a operação, reduz desperdícios, estimula a adoção de práticas sustentáveis e uso de tecnologia mais limpa e abre a possibilidade de participação no mercado de carbono, além de atrair investimentos.

A CRASA Infraestrutura, comprometida com as diretrizes do Pacto Global da ONU no Brasil, da qual é membro, e com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS, implementou o Programa de Monitoramento da Qualidade do Ar, que visa a reduzir o lançamento de poluentes nos canteiros das obras sob sua responsabilidade.

A companhia monitora sua frota e de terceiros quanto a emissão de fumaça preta. Para tal utiliza a metodologia de medição através da Escala Ringelmann, que mede a densidade da fumaça emitida de equipamentos que utilizam diesel como combustível. Todos os novos equipamentos do ciclo diesel que serão utilizados na obra e mensalmente pelo menos 25% de todos os equipamentos em uso na obra, passam por este teste. Aqueles reprovados neste teste (seja no início da execução do serviço na obra ou em amostragens periódicas aleatórias) devem obrigatoriamente paralisar sua atividade e receber manutenção corretiva para entrar novamente em serviço. Com isso a CRASA evita emissão de fumaça poluidora pela não queima do combustível, contribuindo desta forma para redução e controle dos efeitos de poluição.

Paralelamente a esta prática, a companhia avança na discussão sobre o tema de Gases de Efeito Estufa (GEE), visando mitigar e/ou compensar as emissões de gás carbônico e outros gases de nossos processos produtivos.

A CRASA pretende futuramente ser considerada uma empresa carbono neutro, que é uma tendência das empresas envolvidas com conceito ESG e tem trabalhado com afinco desenvolvendo uma série de atividades para este objetivo.





14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo