Inovação em Grandes Obras. Drones, Impressão 3D, Wearables, IoT e IA.




“Os analfabetos do século 21 não serão aqueles que não sabem ler e escrever, mas aqueles que não possuem a habilidade de aprender, desaprender e reaprender.”

- Alvin Toffler



Esta frase de Alvin Toffler, escritor e futurista norte-americano conhecido pelos seus escritos sobre a revolução digital, a revolução das comunicações e a singularidade tecnológica, ilustra bem a realidade que vivemos e pode ser, sem sombra de dúvida, extrapolada para o âmbito empresarial. As empresas e profissionais do futuro estão descobrindo que a principal característica para vencer é a capacidade de aprender, desaprender e reaprender.



Termos como IoT (Internet of Things), Big Data, Desing Thinking, entre outros, são cada vez mais usuais e presentes em qualquer segmento de mercado, e a construção civil e suas grandiosas obras não ficam para trás. A exemplo disso, percebemos nos últimos anos a grande movimentação de Construtechs, que nada mais são do que startups focadas na geração de soluções tecnológicas para a cadeia produtiva da construção civil.


Na busca por resolver “dores” de empresas como mineradoras, construtoras, empreiteiras, indústrias de materiais, imobiliárias, empresas de arquitetura e até governos, estas empresas estão ganhando cada vez mais espaço. Serviços como contratação de mão de obra, orçamento em obras, gerenciamento de resíduos, segurança no trabalho, maquetes interativas e modelos 3D imersivos, prospecção de terrenos e lotes, entre outros, são alguns exemplos de soluções que vem fazendo com que grandes obras sejam ainda mais eficientes.


Abaixo exploramos alguns meios de inovação para o mundo da construção civil e sua aplicabilidade:


1 - Utilização de Drones

A tempos o drone deixou de ser apenas mais um meio videográfico. Hoje ele é utilizado como recurso profissional em diversas áreas, trazendo facilidades e agilidade aos processos.Na construção civil por exemplo, os drones já são utilizados para:


Mapeamento de solo(agrimensura): o equipamento permite não apenas simular projetos nas tomadas aéreas, como fazer estudos de nivelamento de solo, levantamento topográfico;

Monitoramento e Acompanhamento: em obras de grande porte, pode ser utilizado para se saber com maior facilidade se o progresso da obra está de acordo com o planejado;

Inspeções: que podem variar desde análise de fissuras até o acoplamento de sensores termais onde é possível identificar problemas de infiltrações ou elétricos, trazendo significativos retornos financeiros;



2 - Inteligência Artificial (IA)

A inteligência artificial possibilita que maquinários aprendam com experiências passadas, se ajustem conforme estas experiências e performem melhor a cada ação. A utilização da IA nos canteiros de obra pode reduzir consideravelmente o tempo de edificação, otimizando os recursos envolvidos e, consequentemente, os custos do projeto. Algumas aplicações para a inteligência artificial na construção civil:


Previsão e Gestão de riscos: a IA pode executar o monitoramento das atividades envolvendo colaboradores no dia a dia, como violações de normas regulatórias, violação dos procedimentos operacionais com a utilização de equipamentos, ou até mesmo automatizar a utilização de instrumentação pesada evitando riscos ao operador;

Gerenciamento de Obras: no Vale do Silício empresas já desenvolveram modelos para que, através das coletas de dados visuais, se indiquem atrasos, uso em excesso de insumos, e até mesmo a necessidade de compra de insumos ao longo da obra;

Otimização de Maquinário: através do sensoriamento e receptores de dados nos equipamentos utilizados, pode-se prevenir manutenções corretivas no maquinário utilizado, executar trabalhos com maior precisão e, também, otimização de sua utilização através da sua programação.


3 - Wearables no canteiro de obras

Falando em IA não podemos deixar de falar Wearables, os dispositivos vestíveis. Muitos ainda estão em fase de prototipagem, e pode ser que ainda levem um certo tempo para serem incorporados no Brasil, mas é importante que estejamos preparados para a revolução que estes dispositivos estão causando. Destacamos, neste contexto, os chamados Capacetes Inteligentes” e os Óculos 3D. Dentre suas principais funcionalidades dos capacetes:


• percebe objetos em movimento ao redor do trabalhador e o avisa do possível perigo;

• alerta o trabalhador e supervisores (pois faz uso de áudio e vídeo) caso ele entre em local no qual não está autorizado no canteiro;

• detecta vazamentos de gás como monóxido de carbono, radiação e agentes químicos nocivos;

• identifica quedas e envia um pedido imediato de ajuda para os demais trabalhadores, com a localização exata do trabalhador machucado;

Apesar da tecnologia acima não estar 100% desenvolvida, soluções mais simples, como a do capacete com ventilador acoplado e alimentado por luz solar, já podem ser vistas em canteiros de obra no Brasil.


No que diz respeito aos Óculos 3D, através da tecnologia de realidade aumentada, permitem que o profissional caminhe pelo canteiro de obras vazio e consiga visualizar como o projeto ficará depois de pronto, em tamanho real. Isso já é possível com os óculos de realidade mista desenvolvidos pela Microsoft, os HoloLens 2.



4 - Impressão 3D

Este recurso tem enorme potencial para a construção civil, e exemplos para acreditar nisto não faltam, como o engenheiro mecânico americano Robert Flitsch que desenvolveu uma impressora 3D robótica que preenche e restaura fissuras em rodovias, ou a empresa chinesa WinSun que já imprimiu dez casas populares em menos de 24 horas reutilizando material excedente de outras obras.


Certamente esta tecnologia veio para ficar, principalmente pela procura em utilizar materiais sustentáveis e com baixa geração de resíduos. Apesar do avanço, a tecnologia de impressão 3D ainda requer estudos para aplicabilidades mais próximas à realidade da construção civil.


O conceito de inovação é amplamente utilizado em contextos de tecnologia, muito embora não esteja diretamente relacionado a ela. Inovar é a maneira de criar novos meios, processos, caminhos ou estratégias, diferentes das já habituais. É também o poder da invenção e da exploração de novas ideias.


A seguir outros exemplos de inovação com uso da tecnologia


Sustentabilidade e eficiência energética

Edifícios eficientes que gerem menos danos ao meio ambiente são tendências cada vez mais fortes no meio da construção civil. Estudos do Green Building Council Brasil (https://www.gbcbrasil.org.br/) apontam que um projeto sustentável é capaz de reduzir 40% a utilização de água, 35% em emissões de gás carbônico, e 65% os desperdícios. Para os consumidores e usuários o ganho está na redução do custo operacional da obra, além de proporcional impacto positivo perante a sociedade e valorizar os empreendimentos.

Além disso, definitivamente construções sustentáveis estão na moda! O tema foi pauta, em fevereiro deste ano, de uma publicação da famosa revista Vogue Austrália. Sob o título “O futuro é verdejante”, a matéria listou os 10 edifícios verdes “mais fashions” do mundo.


Contrapiso autonivelante

Assim como no convencional, a argamassa do contrapiso autonivelante é composta por um cimento de alto desempenho, entretanto, a diferença está nos aditivos especiais de sua composição. No contrapiso autonivelante, os aditivos controlam a viscosidade e aumentam a fluidez do material garantindo um sistema auto-adensável, uma vez que a argamassa não requer vibração ou compactação manual, pois utiliza-se apenas do peso próprio e da força gravitacional para escoar e se manter homogênea, preenchendo todo o espaço.


Bioconcreto

Finalistas do prêmio European Inventor Award 2015, os pesquisadores da Universidade de Tecnologia Delft, na Holanda, desenvolveram um material chamado bioconcreto, que consiste na mistura de concreto com a bactéria bacillus pseudofirmus, que é encontrada em lagos congelados da Rússia. Quando incorporadas à mistura de concreto, essas bactérias produzem carbonato de cálcio e são capazes de selar as fissuras existentes, poupando mão-de-obra e gastos com manutenção na construção civil. A bactéria é altamente resistente a ambientes hostis, capaz de sobreviver por mais de 200 anos nos edifícios.


Lean Construction

Originário do já conhecido Lean Manufacturing, sistema este desenvolvido pela Toyota na década de 40, o Lean Construction nada mais é do que a adaptação do modelo de métodos e gestão de gerenciamento de projetos no meio da construção civil. O principal objetivo é aumentar a produtividade e eficiência através da redução de desperdícios, gargalos e tempos de esperas nas obras. Entre os principais princípios do modelo de gerenciamento estão:


• Reduzir atividades que não agregam valor: otimizar as atividades como transporte, espera, processamento e inspeção, ou seja, atividades que não geram valor direto ao produto que está sendo executado;

• Reduzir tempo de ciclos: garantia de estabilidade em todos os tempos de processamento de um projeto, garantindo uma entrega mais rápida, com facilidades de gerenciamento, e precisão na estimativa de projetos futuros.

• Maior transparência dos processos: a transparência dos processos reduz as chances de que erros sejam executados, e proporcionam maior facilidade na identificação de novas oportunidades, agilizando o processo de tomadas de decisão e contribuindo para uma maior participação de todos envolvidos na obra.

Importante ressaltar que a utilização de inovação e tecnologia nos empreendimentos deve não somente trazer reduções de custos e tempos operacionais, mas também progresso na qualidade das construções.


Em um mundo de evolução constante e verdades provisórias, as empresas que possuírem a capacidade de desprender-se de conceitos retrógrados para estarem abertas às boas práticas, buscando o aprendizado contínuo e a geração de valor, certamente estarão prontas para seguir crescendo neste mercado tão competitivo e cada vez mais desafiador.



138 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo